segunda-feira, janeiro 15, 2007

As mulheres, essas doidivanas...

"Hoje o aborto, fora das excepções já consignadas em lei, só é solução para mulheres distraídas, desleixadas, promíscuas, pois uma mulher normal tem inúmeras maneiras de evitar ficar grávida e, em última solução, tem a pílula do dia seguinte. Votar sim no referendo é incitar as mulheres à vida irresponsável, despreocupada, estúpida e arriscada."

Bold meu. A pérola vem do Blogue do Não, claro.

15 comentários:

Anónimo disse...

"...tem apílula do dia seguinte"

que, noutro dia tinha tdos os inconvenientes do mundo. Então agora já é boa?

O pessoal do não já não diz coisa c/ coisa.

Shyznogud disse...

gostei muito do promíscuas

FuckItAll disse...

"Uma mulher normal"?

Mouro da Lapa disse...

Há mulheres normais?

FuckItAll disse...

Pois.

FuckItAll disse...

...disse eu, que gosto muito de dizer coisas.

Mouro da Lapa disse...

Eu também (não é para me gabar, claro).

Joana D'Apre disse...

Eu também gosto muito de dizer coisas.Coisas importantes como "apre, que esta gente arrepia-me!" Todos eles, os do não, os do sim...os que ainda escapam ao meu apre ainda são os do talvez. Pelo menos esses mostram que a certeza e a verdade não são seu apanágio. Não percebo para que servem os debates sobre este tema. Para esclarecer a população? Qual população? Esclarecer o quê? Quando começa a "vida"? Sabem lá eles uma coisa dessas!Padres e cientistas, calem a vossa ignorância. Metralhar-nos com o numero de mulheres que morrem por ano em Portugal por fazerem abortos em condições tenebrosas? Toda a gente sabe isso.
Expliquem-me porque eu não percebo: Porque terá a D. Jacinta, com o seu bigode farfalhudo e os seus 10 filhos que por uma questão de ordem prática se chamam todos Enésimo, direito a decidir sobre a minha vida? Não consigo perceber isto, apre!

Noz Moscada disse...

Eu sou meio bruxa, leio runas/cartas/tarot, em 2002 atendi uma miúda em guimarães, tinha 20, já era mãe de uma menina, e era casada com um individuo que todos os dias lhe batia, pouco mais velho que ela.
Vinha saber se lhe podia advinhar o futuro. E o futuro não era lá muito brilhante nem risonho, dei conselhos,um ombro e ajudei como sabia e podia, e ela foi embora; um pouco mais tranquila, creio, e cheia de esperanças que tudo mudasse.
Um dia na paz da minha casa, a menina bate-me a porta a pedir ajuda, vinha toda negra e cheia de hematomas, pois o santo marido lhe havia dado um enxerto de porrada e ela estava decicida a acabar com
tudo, eu aflita, fui a procura de ajuda, numa coisa que se chamava gabinete de ajuda para a igualdade das mulheres, ou antiga comissão da condição feminina, ou de um meio legal que pudesse esclarecer e informar e apoiar aquela menina-mulher; levei um redondo não, não podiam fazer nada, pois teria de ir a junta de freguesia lá do lugarejo onde vivia e que eles que lhe prestassem ajuda,pois tinham poder e o dever para o fazer. Vim embora indignada e zangada por me sentir impotente perante tal realidade.
E a menina-mulher, também se foi à à procura da tal ajuda....levei muito tempo até saber dela....e uma vez mais, um dia, volta a bater a minha porta; Desta vez, dizia, tinha-se separado do marido, mas ele achava que tinha direitos sobre ela e ia casa sempre que queria e obrigava-a ter relações sexuais, se não queria mais um enxerto de porrada; estava a perder sangue, tinha ido a uma aborteira, ja estava grávida de três meses, mas quando a aborteira se deu conta voltou atrás, não queria problemas....Veio me pedir a ajuda, porque achou que eu podia, naquele estado,levei-a ao instituto de medicina legal,para que fosse internada e o aborto fosse feito de forma legal, falou com o advogado, assistente social e foi mandada para a maternidade, não para a abortar mas para que não perdesse a criança, e esteve internada quase uma semana...
Em casa dela, ninguém sabia, não podia dizer, estava a fazer um curso profissional e também corria o risco de ser excluida.....passado algum tempo telefonou-me, tinha consigo arranjar o dinheiro para o aborto e foi a uma clinica privada......fiquei aliviada, quando soube que tinha feito o aborto em condições decentes e devidamente assistida.......

Esta menina-molher-moça ou lá que lhe queiram chamar era mesmo muito promíscua, distraida e desleixada, está-se mesmo a ver......é óbvio......

No coments.......

FuckItAll disse...

Talvez não fosse normal o suficiente.

moura min disse...

sou anormal !!!!!!

FuckItAll disse...

parabéns, pequena moira.

moura min disse...

pequena moira sou eu???? :O

é q na sou de encher chouriços (as piadas de os vazar, são no mínimo de mau gosto, ahahahaha) mas quem sabe, com a falta de empregos, ainda é um assunto a ponderar, ihihihihihihihihi

joaquina disse...

e o que é isso de normal/anormal....é de comer????

Mouro da Lapa disse...

É sim, jaquina.Os anormais comem. Os normais, são comidos.